terça-feira, julho 12, 2016

Poema do educado


 
Se um dia acordar e não te ver,
ou fiquei cego ou meu olho grudou.

Se um dia te ver e não gostar,
ou você é uma chata, ou eu perdi o paladar.

Se um dia eu for dormir e você não,
durmo do mesmo jeito.

Se um dia chover e você precisar de amparo,
lhe darei um guarda-chuvas, ou não.

Se um dia você quiser saber da verdade,
não procure comigo, vá procurar em outro lugar.

Se um dia escurecer de repente, acenda as luzes
e não me diga que está escuro porque eu vi.






O que se fez de mim


Da solidão se fez o pranto
Da amizade se fez a distância
Do amor se fez a angústia
Da paixão, a loucura

Da liberdade se fez a prisão
Do grito se fez o silêncio
Do carinho se fez a dor
Da vida, a morte

Do riso se fez a sisudez
Do afago se fez o delírio
Do dia se fez a noite
Da alegria, a tristeza

Da solidão se fez a mudez
Da liberdade se fez um grito
Do riso se fez as lágrimas
Da paixão, vida, alegria, se fez o sofrimento

(Allaymer Bonesso)

Redação final da Lei da Terceirização

Altera dispositivos da Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974, que dispõe sobre o trabalho temporário nas empresas urbanas e dá outras...