sábado, novembro 22, 2008

O pedágio voltou



A praça de pedágio que fica entre Cambará e Andirá voltou a cobrar.

O valor é de R$9,70. Ida e volta não importa o trecho que percorre, a cobrança é feita pela utilização da praça de pedágio, não é pela utilização da rodovia.

O valor é alto, talvez o maior valor de pedágio do mundo. Isso é um orgulho para o Paraná, Estado que era gerenciado por mercenários e debilóides. Não ficam atrás os deputados que apoiaram o ex-governador e muito menos o Tribunal de Contas. Todos omissos. Coniventes.

Principalmente aqueles que implantaram o pedágio, numa exploração clara do povo cordeiro do Paraná.

Não dá para ficar bravo com o pedágio, mas o valor cobrado é altamente prejudicial ao povo do Paraná e a economia do Estado. É o atraso do atraso.

A concessionária é arrogante. Seus administradores arrogantes. Seus assessores arrogantes e perderam uma ação para uma professora sozinha.

Por outro lado a Professora que não recebeu o benefício pedido, por isso resolveu brigar. Se tivesse recebido estaria até hoje o pedágio entre Jacarezinho e Ourinhos. Como não recebeu o benefício virou coisa pessoal, o pedágio não poderia ser implantado naquela localidade dividindo as cidades.

Bem feito pelo enorme buraco deixado nas contas da concessionária, que abusa do contrato firmado com o aval da omissão dos deputados, Ministério Público e população ativa do estado que sabia da licitação para implantar o pedágio.

O povo do Paraná deve esperar o pior. O governo não sabe como fazer, o TCE é ruim demais para proteção da coisa pública, os Deputados são péssimos, não têm a mínima noção do que está acontecendo com nós e a sociedade como um todo é cordeirinha dos pseudos-administradores público.

Temos que esperar nascer alguém para poder virar a mesa.

domingo, novembro 16, 2008

Homem de 96 anos é acusado de tráfico em Cuiabá

Deu na Folha de São Paulo:

Homem de 96 anos é acusado de tráfico em Cuiabá

A Polícia Militar de Mato Grosso prendeu em flagrante, na última quinta-feira (13), um homem de 96 anos suspeito de usar sua casa --localizada na periferia de Cuiabá-- como ponto de venda de drogas. Nascido em maio de 1912, João Daniel dos Santos foi denunciado por um suposto cliente 66 anos mais novo.

Um homem de 96 anos preso por tráfico traduz alguma coisa nebulosa na vida dos idosos.

Primeiro que não poderia não possuir condições de se manter com dignidade, em vista da aposentadoria que recebe; segundo, as políticas públicas para o idoso são caóticas, na localidade onde mora; terceiro, não tinha condições de entender o caráter criminoso do fato, ou sabia ser crime mas não tinha condições de entender a extensão do crime cometido.

De todos os ângulos que se olhe, um idoso de 96 anos que, mesmo entendendo o caráter criminoso do tráfico, pratica o tráfico demonstra que a política pública, o atendimento ao idoso é deficiente.

Talvez por carência, mesmo por ganância (96 anos de idade e ganancioso!), ou por ser mais vulnerável para o aliciamento pelas dificuldades já enumeradas, ou por ser simplesmente criminoso, deve ser encarado o fato noticiado como fato anormal do cotidiano.

Como o próprio policial que o prendeu disse, durante em sua vida profissional nunca havia acontecido de prender uma pessoa com idade tão avançada.


Minha sobriedade

Tenho acordado esses dias e me deparado com um velho no espelho. Olho pra ele e penso se tudo que ele passou pela vida valeu a pena. Pergu...