sábado, outubro 24, 2009

Dancem Macacos, Dancem

Um comentário:

diego_nassif disse...

1) Let it be, let it be...
2) Nossa delirante realidade nos confina entre o amor e medo (mormente o medo de amar e o medo de não ser amado).
3) Satisfação e felicidade são coisas diferentes.
Infelizmente (!) aquela se sobressai em detrimento desta.
4) Quase sempre nos reduzimos a impulsos bioquímicos de ordem ancestral: comer, dormir, trepar. Assim, o que parece nos fazer humanos não é nossa capacidade criativa (inteligência) de obter novas formas de fazer o mesmo, mas a nossa sensibilidade em abstrair o amor, de ver o outro como a si e a si mesmo como um outro - não impulsos biológicos de fraternidade e afeto, mas a necessidade de querer bem (felicidades ou satisfação?) não só a si, e sim que isso seja compartilhado com o outro-eu numa delirante festa (de amor e medo).
Não sei se estou certo ou é apenas uma consciência de formigueiro/colméia, mas, de toda forma, dancemos, macacos, dancemos !!!

Alienação de Imóvel na Pendência de Débito Tributário

Kiyoshi Harada Frequentemente somos consultados por proprietários de imóveis acerca da possibilidade ou não de vender determinado imóve...