sábado, março 17, 2012

Meu modo de ver


                Não posso manifestar-me a respeito das paralisações que estão ocorrendo no Paraná sem antes mencionar duas situações que penso ser interessantes.
                 Em 1964, na revolução brasileira pela democracia, eu ainda criança, vi meu pai sendo preso e encarcerado. Aquela noite, quando os policiais da repressão foram até minha casa, nunca esqueci. Meu pai e um tio foram presos na mesma noite. Eles tinham opiniões próprias, lutaram e sabiam do valor de um país livre e democrático.
                  Em 1981, quando ainda estudava na Fundação Faculdade de Direito de Jacarezinho, participei de uma reunião do MDB em Andirá (na época partido de esquerda em oposição ao Governo que era da ARENA) e conversei com o Senador José Richa para que ele, com seu poder político, concedesse uma bolsa de estudo para uma colega que não conseguia pagar a faculdade. Ele me disse que era uma obrigação do Estado o estudo superior e que era para ela entrar em contato com seu gabinete. Ela conseguiu. Ele, José Richa, tinha opinião própria e lutou por um país livre e democrático.
                  Hoje, alguns anos após, vejo que pouca coisa mudou. A opressão por meio da força não se faz mais (talvez seja essa a pequena diferença), no entanto, a opressão por meio da economia é uma das formas que o Governo usa para enfraquecer a consolidação da democracia.
                  O enfraquecimento do ensino por meio de corte orçamentário deixa todos vulneráveis ao comando de apenas um dirigente, pois o controle da vida da sociedade pela economia demonstra claramente a falta estrutura para consolidar um país que pode ser construído com liberdade no conhecimento científico, na pesquisa, na força dos nossos jovens, na experiência dos nossos professores, numa escola de qualidade.
                 Mas uma coisa gostaria de deixar claro: nunca conseguiria contar as duas histórias iniciais se não fosse minha formação escolar pelas mãos da Dona Jacira, minha primeira professora, que sempre ganhou muito pouco e hoje passa por sérias dificuldades financeiras. Morando em uma casinha bem simples, dependendo de remédio do Governo e atendimento médico precário. O governo conseguiu controlar a vida dela pela economia quando cortou verba orçamentária para a educação. Ela passou a viver com muito pouco e é sempre dependente do Estado.
                   A Dona Jacira? O governo nunca deixou que ela tivesse opinião própria.

Nenhum comentário:

Só, com alguém!

E somente quando você sente um mar de emoções dentro de você pode perceber que está sozinho. E continuará, pois o mundo à sua volta não im...